Número total de visualizações de página

24 outubro, 2005

Educação Ambiental - Porquê?

Nos últimos tempos, paralelamente ao crescimento dos problemas ambientais tem-se verificado uma preocupação crescente com os mesmos.
Recorde-se, por exemplo, a Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente realizada em Estocolmo no ano de 1972.
No sistema educativo português "a entrada de Portugal na União Europeia em [1986] constituiu um marco decisivo para uma nova política de Ambiente e de Educação Ambiental" (Pinto, 2003) contemplada pela sua vertente transdisciplinar pela Lei de Bases do Sistema Educativo publicada no mesmo ano, reconhecendo à "Educação Ambiental (...) objectivos de formação dos alunos, abrangente a todos os níveis de ensino".
Com efeito, em 2003, o Instituto do Ambiente anuncia a Estratégia Nacional de Educação Ambiental para a Sustentabilidade, apoiando uma Rede Nacional de Educação Ambiental desmultiplicada localmente, na qual se inclui a Agenda 21 Escolar, que prevê o desenvolvimento de uma política ambiental organizada e participada.
A execução e divulgação de acções, experiências e projectos pelas escolas de cariz ambiental tornam-se cruciais para o crescimento e formalização da Educação Ambiental, tendo como objectivo maior o Desenvolvimento Sustentável, garante da sobrevivência e qualidade de vida das gerações presentes e futuras.
Imbuída neste desafio, a Escola Básica Integrada dos Biscoitos (ilha Terceira Açores) tem-se empenhado em promover espaços abertos à comunicação de projectos, actividades e experiências sobre o ambiente, envolvendo toda a comunidade educativa, como foi o caso da turma do 6º C, que no passado dia 21 de Outubro de 2005, apresentou um projecto sobre poluição marinha em parceria com a Universidade dos Açores.