Número total de visualizações de página

18 dezembro, 2006

NATAL

Natal cheio de cor, nem por isso cheio de amor.

Natal repleto de felicidade mas com pouca humanidade.

Natal da verdade onde falta a solidariedade.

Natal do Menino Jesus, em alguns lares reluz.

BOAS FESTAS E FELIZ NATAL!!!

13 dezembro, 2006

Ano Polar Internacional

Ao ler o post do Desambientado "Ando Polar" inteirei-me de que 2007 era o Ano Internacional Polar (AIP). Aliás, o período exacto das comemorações vai desde 1 de Março de 2007 a 1 de Março de 2009. Este prazo mais alargado irá permitir que os cientistas trabalhem em ambas as regiões polares, no Verão e no Inverno.

Este evento de extrema importância para a humanidade foi decretado, no dia 19 de Junho de 2006, pelo Conselho Internacional para a Ciência(ICSU), num encontro realizado em Edimburgo, na Escócia.

Hoje sabe-se que as regiões polares possuem grande influência na manutenção do equilíbrio climático a nível de todo o planeta. Com o objectivo de aumentar o conhecimento sobre os pólos, sua influência no sistema global terrestre e as perspectivas para o futuro, a comunidade científica de cerca de 60 países vai proceder a estudos para observar e compreender melhor as regiões polares da Terra.

As regiões polares são muito sensíveis às mudanças climáticas e isso gera uma grande preocupação para o futuro dos ecossistemas polares. Para além disso, as modificações que nelas se opera têm consequências em todos nós, como é o caso da subida do nível do mar (situação dramática para as povoações das zonas costeiras), perda de biodiversidade, alterações climáticas com consequências imprevisíveis...

O Ano Polar Internacional de 2007/2008 também oferece uma oportunidade de sensibilizar toda a humanidade para a importância das regiões polares e como elas influenciam sua vida. Para garantir que haja um acompanhamento das iniciativas, acontecimentos, projectos, etc. deste evento, foi criado um site oficial.


A nível nacional, o Comité Português para o Ano Polar Internacional apresenta o Programa LATITUDE60! Educação para o Planeta no Ano Polar Internacional. Este programa visa mobilizar as escolas, professores e alunos de todo o país para várias iniciativas de educação e divulgação científica enquadradas no Ano Polar Internacional.

Alerta proferido por cientistas europeus, reunidos na cidade alemã de Bremen:

"O gelo do Árctico poderá derreter totalmente até 2080, devido ao aquecimento climático."

02 dezembro, 2006

Associações Ambientais dos Açores

As associações ambientais têm vindo a ganhar forte expressão nos domínios da preservação e conservação da natureza, a nível mundial e nacional. Actualmente existem registadas cerca de 110 associações em Portugal, embora se saiba que existem muitas outras, não registadas, que desenvolvem a sua actividade de forma organizada, em diversas áreas de intervenção ambiental. Nos Açores, é a partir dos anos 60, que surge a 1ª associação ambiental " Os Montanheiros Sociedade de Exploração Espeleológica" cuja a sua actividade desenvolve-se, predominantemente no âmbito da espeleologia nas diversas ilhas do arquipélago.

Uma das paisagens naturais da Terceira (cavidade vulcânica do Algar do Carvão)

Actualmente, esta associação possui duas delegações 1 na ilha do Pico e outra na ilha de São Jorge que se dedicam à empolgante aventura de caracterizar e registar espólios espeleológicos de incalculável valor patrimonial natural.

Já na década de 80, em 1984 é fundada a Associação Ecológica Amigos dos Açores, tendo iniciado à sua actividade na ilha Terceira e, posteriormente sedeada em São Miguel. Possui grupos de trabalho organizados em educação ambiental, espeleologia e actividades ao ar livre.

Em 1985, a nível nacional, forma-se uma das mais emblemáticas associações ambientais a QUERCUS (Associação Nacional de Conservação da Natureza) que funda posteriormente dois núcleos regionais nos Açores, em São Miguel e Terceira, possuindo áreas de intervenção muito diversificadas, desenvolvendo acções assertivas na defesa do ambiente.

Na década de 90 surgem duas novas associações ambientais nos Açores: em 1991 a Azórica na ilha do Faial e em 1994 a Gê-Questa na ilha Terceira.

Para além destas existem outras associações, que embora mais pequenas têm dado um bom contributo na área do ambiente aos Açores, quer com investigações quer com acções de intervenção ambiental

23 outubro, 2006

FAZ HOJE UM ANO...

que iniciei a grande aventura de vaguear pelas nove ilhas dos Açores, destacando as suas fantásticas paisagens e as suas áreas protegidas. Foi uma viagem cheia de emoção e fantasia. Cada lugar, cada ilha encontrava-se envolta em magia. E sonhei...

em Santa Maria, na lindíssima baía da Maia... e na imponente montanha do Pico

na formosa e caprichosa ilha das Flores e na mais pequena ilha do arquipélago, o Corvo

na fantástica lagoa das Furnas, em São Miguel e na magnífica Ponta das Contendas, na Terceira

sonhei nas fajãs de S.Jorge, na bela costa do Faial e na caldeira da Graciosa...

20 outubro, 2006

Os Cagarros


O cagarro é uma ave marinha que vem a terra, de Março a Outubro, para se reproduzir e nidificar.
Depois... no fim de Outubro, os juvenis são abandonados, nos ninhos, pelos progenitores.

É aí que começa a intensa luta pela sobrevivência! Movidos pela fome, atrevem-se ao primeiro voo. Como se orientam pelas estrelas e possuem uma visão difusa, são enganados e encandeados pelas luzes das povoações e dos automóveis. Desse modo, muitos cagarros morrem por colisão ou atropelamento.

Este é um juvenil bastante sortudo. Foi salvo pelos alunos da Escola Básica Integrada dos Biscoitos, na tarde de ontem. Após algumas peripécias e muito empenho lá ficou o cagarro no caixote a aguardar o seu destino.

Foi com certeza um bom destino! Dois vigilantes da natureza recolheram-no, com todo o cuidado, para o libertarem depois junto ao mar.

18 agosto, 2006

As Ilhas Desertas

Um Pequeno Paraíso
As Ilhas Desertas são constituídas por três ilhéus (Ilhéu Chão, Deserta Grande e Bugio) situados a SE da Madeira, possuindo uma área de 9.672, dividida em Reserva Parcial - a Norte, e Reserva Integral - a Sul.

É uma Reserva Natural desde 1995, através do Decreto Legislativo Regional n.º 9/95/M. Inicialmente, a protecção destas ilhas esteve relacionada pela urgência de tomada de medidas para a conservação do Lobo Marinho. Actualmente o seu objectivo prende-se com a protecção e preservação de todo um conjunto de fauna e flora únicos e que englobam várias espécies raras e endémicas.


As Ilhas Desertas são de origem vulcânica, com cinzas de cor avermelhada e amarelada, que em geral formam camadas mais ou menos definidas e são, por vezes, atravessadas, no sentido vertical, por filões de basaltos, tendo uma extensa faixa litoral (cerca de 37700m) formada por escarpas muito inclinadas e quase a pique, de difícil acesso. As Ilhas Desertas constituem um reduto, por excelência, do Lobo-marinho, espécie emblemática da Reserva, que se encontra em recuperação populacional. Também é um local importante de nidificação de aves marinhas.

a Cagarra, Calonectris diomedea borealis

o Roque de Castro, Oceanodroma castro

a Alma-Negra, Bulweria bulwerii

a rara Freira do Bugio, Peterodroma feae,com uma distribuição mundial que se restringe à Ilha do Bugio e Cabo Verde

A abordagem das ilhas desertas foi sugerida por Soslayo do blog In Mente, ao qual agradeço, pelo conhecimento que me proporcionou na realização deste post.

01 agosto, 2006

Quadro

Projectar a beleza é fazer Educação Ambiental
Esta foto é um registo único da montanha ao entardecer, a partir da Vila Baleeira das Lajes do Pico, quando os cagarros começam as suas incursões e enchem o ar com os seus piares.

26 maio, 2006

Eis o Sêlo!!

Em Abril lancei um desafio a todos os blogs para a criação de um sêlo pela Amazónia. De entre muitas sugestões foram seleccionadas duas da responsabilidade dos blogs Ideias e Ideais e In Mente. A composição do sêlo ficou a cargo do blog Ideias e Ideais que exemplarmente conjugou a imagem com o texto e produziu o código. A ele o nosso muito obrigado, bem como à Azoriana que o apoiou. Um braçado de amigos envolvidos e empenhados.

Resta pois convidar-vos a levar este sêlo para o vosso espaço e a oferecê-lo a todos quantos conheçam. Para tal basta copiar o código que se encontra por baixo da imagem e colá-lo no template.

O meu mais secreto desejo é de que esta ideia seja acarinhada por todos vós, pois embora simbólica, encerra um sentimento comum de combate à inconsciência humana na exploração dos recursos naturais do planeta, dos quais depende a sobrevivência de todos os seres vivos.

O sêlo já está nos blogs:

Ideias e Ideais
In Mente
Azoriana
Desambientado
Desertos e Desertificação

Educação Ambiental na EBI dos Biscoitos


Animais
Aprendiz de Viajante
Ilhas do Mar
Amigos
Fases da Lua
Floresta da Índia Ursa Sentada
Animais&Plantas
Pequena Poetisa

Futebol
África de Todos os Sonhos
Essência de Mulher
Fotoescrita
Roadrunner67
Mariazinha

Janelas da Alma
Balão D’Ensaio

Estranhos Dias e Corpo do Delito
Além de Mim
Travessa Larga

Alfarrábio

Cotidiano
Caminhar
Fernão Capelo e Gaivota
Ville de Lumière
Jardim da Medusa

........

21 maio, 2006

Ponta do Castelo

Em 2001 a Comissão Europeia aprovou a lista de Sítios de Importância Comunitária da região biogeográfica da Macaronésia (Madeira, Canárias, Açores, Cabo Verde e Selvagens). Estes sítios possuem uma biogeografia única no Mundo, estando a maioria dos seres vivos endémicos em risco de extinção ou mesmo extintos.

Nos Açores, a elevada riqueza em termos de diversidade biológica em áreas terrestres e marinhas foram designadas simultaneamente como Sítios de Importância Comunitária e Zonas de Protecção Especial.

Esses sítios têm sido referidos neste blog há já algum tempo, com intuito de dar a conhecer as suas especificidades biológicas e geomorfológicas, vulnerabilidades e ímpar importância para a preserveração da identidade açoriana.

Hoje destaco um desses sítios na ilha de santa Maria - a Ponta do Castelo.

A Ponta do Castelo

A Ponta do Castelo situa-se na costa sudeste da ilha, tendo uma extensão de 8 Km. Apesar de distante dos aglomerados populacionais, não se furta à influência antropogénica, sendo utilizado para pesca comercial e actividades turísticas (mergulho).

A classificação deste local como SIC relacionou-se com a existência de habitas e espécies das directivas.

Habitats: enseadas e baias pouco profundas; falésias com flora endémica das costas da Macaronésia; vegetação perene das praias de calhau rolado; grutas marinhas submersas e semisubmersas.

Espécies: o cagarro

A tartaruga-careta


O Roaz

Flora: azorina vidalli

Spergularia azorica

18 maio, 2006

Santa Maria

A ilha mais a Oriente do arquipélago dos Açores.

A ilha

Praia Formosa

Baía de São Lourenço



Baía do Raposo

Baía dos Anjos

Barreiro da Faneca - "O deserto vermelho dos Açores"

Ilhéu se São Lourenço

Ilhéu de São Lourenço

30 abril, 2006

Campanha de Solidariedade



Fui convocada por mdeus !
Há a fome dos outros. A fome de poder. A fome da leviandade. A fome da inércia. A fome de vida. A nossa fome.

- Mãe tenho fome!

- Poderás ter vontade de comer. Fome… duvido.

- Pronto, está bem, tenho vontade de comer. Mas é uma frase mais longa.

- Mas é a frase correcta. Jamais confundas fome, com vontade de comer.

Foi através daqui, da ONE, que começou este pequeno gesto de solidariedade para com os povos mais desfavorecidos. E foi através desta Senhora, de nome Maria Árvore, a quem roubei esta frase, que vos dou a ler o seguinte:"Banco Alimentar Contra a Fome", que todos os dias ajuda a colmatar a pobreza e a fome em Portugal e que já a 6 e 7 de Maio próximo estará num supermercado próximo de si, ou então, a APAV – Associação de Apoio à Vítima por apoiar as vítimas de todos os tipos de crimes .Já agora, que não custa nada, passem por aqui se faz favor, e apoiem a velhinha UNICEF, que continua muito coerente com os seus princípios básicos. Ela agradece.Obrigado!

Na sequência desta campanha, tomei a liberdade de destacar uma das organizações humanitárias de forte relevância social: os Médicos Sem Fronteiras (MSF)

Intervenção na Nigéria, Mauritânia, Sudão... face a problemas de sub-nutrição graves

Auxílio a um grupo de 500 imigrantes sub-sahariens expulsos de Ceuta em 2005

Islamabad, no Paquistão, ajuda à população após um violento sismo em Outubro de 2005

Ajuda Alimentar no Katanga

Os médicos sem fronteiras (MSF) compõe-se de uma organização internacional não governamental que disponibiliza assistência médica em situações de conflito armado, catástrofes naturais, epidemias, fome, situações de refugiados…

A MSF foi criada em 1971 em França por médicos franceses e actualmente encontra-se em actividade em 80 países pobres, trabalhando em estreita neutralidade e imparcialidade, reivindicando em nome da ética médica universal o direito à assistência humanitária, a liberdade total e completa no exercício da sua actividade.
A MSF é composta de voluntários do corpo médico e dos serviços de saúde, entre outros, formando um corpo permanente, sendo financiada por contribuições do grande público, de organizações sem fins lucrativos, corporações e governos.
Para mais informações consultar:
À semelhança de mdeus, proponho que a corrente continue através dos seguintes blogs: