Número total de visualizações de página

28 março, 2006

A Ternura Manifesta!

numa presença

num gesto

Mas... em apenas uns minutos,

o assasino rouba-lhe a vida

mancha de sangue a sua humanidade

semeia o desespero

a sua marca jamais se apagará

do seu olhar

---------------------------------------------

Minha terra sofre tanto
Ar, água, homens e animais
Um dia é afogada num pranto
E será, talvez, tarde de mais

Mas as consciências impolutas
Já não podem suportar mais
Se congregarmos todas as lutas
Não cederemos nunca, jamais

Podem a Terra inteira destruir
Podem eliminá-la da existência
Que enquanto a energia fluir
De vida una haverá consciência

José António

Post inspirado e associado à campanha de: The Rainbow Warrior
Este blog associa-se ao blog Ilhas para repudiar o processo adoptado de abate de cães vadios na ilha da Graciosa a tiro de caçadeira.
Atirar a matar desde que se aviste um vadio!
yunus.hacettepe.edu.tr/ ~bbm861/images/seal.jpg

26 março, 2006

São Miguel...Inesgotável Beleza...

Miguel nome de Arcanjo,
Açor nome de ave,
Sobre esta ilha voa um anjo,
Toda a gente já o sabe.

Desambientado

Meus olhos recusam-se a ver
A eternidade nestas imagens
O espelho de quem criou o SER
E dá azo a todas as viagens

Onde acaba o céu e começa o mar
Onde está essa linha finíssima
Que nos impele todos para amar
A vida una, eterna, lindíssima...

O espanto invade todo o meu ser
Eu sou o céu, as nuvens, o mar
Pois tudo isso sinto e sei ver
A vida eternamente a transbordar

E quem fotografa assim também tem
Da eternidade uma forte percepção
Captou o único e eterno vai e vem
O fio que tudo une em seu coração

José António

Céu do meu amor
De todos nós
Céu de nuvens e
de ventos
de brisas e
tempestadesCéu dos buracos
da camada de
ozónio
De carneirinhos e
fumaças
Parece
Infinito
e se há um céu maior
que ele
Céu do meu amor
Céu
da boca e do
beijo
Do desejo eterno
saciado para morrer
de amar um no outro
Céu
romântico dos
apaixonados onde
por trás das brumas
há encontros e
conjugam-se os opostos
na síntese do verbo
amar

ruth iara

Neste cantinho do mundo
onde a paz vim encontrar
sinto cá bem no fundo
que todos eu quero amar

Se algo vos posso dizer
se ainda vos posso deixar
saibam todos meus amigos
que todos eu quero amar

tat wam asi

Ó lava incandescente,
Que as pedras negras vens beijar,
O teu fogo tão ardente,
Com a água se vem encontrar,
E em bruma te vais transformar.

Dessa magma que já fui
Neste estado me tornei
Me aconchega esse calor
Que no meu seio guardei.

Prova do meu sabor
E do cheiro que exalo
Esta caldeira que sou
É tudo o que te falo.

Minhas formas exotéricas
De mil coisas me vesti
Saio do fundo da terra
Para me mostrar p’ra ti.

Aqui é o que virdes
Simples pedra guarnecida
Mas do âmago d’onde provim
Há mais pedaços de vida.

Soslayo

Na crista da noite

A beleza maior então se apresta,
entre terra e céu solta-se o beijo,
o momento dos sonhos, do desejo,
um sinal de amor se manifesta!

O raio só luz na virgem aresta
Entontece-me e quase que não vejo
o sol alegrar-se com outro beijo
como se fosse o teu na minha testa.

Um sonho breve foi amor eterno
fica gravado num fogo tão lindo;
no teu olhar nem sinais de Inverno...

Na crista da noite desfaz-se o dia
outra voltará, decerto sorrindo;
Ficar contigo... que claro seria!
Fui magma que soltou
vulcão enfurecido,
E mão de Deus moldou
Depois de adormecido
Fui cratera a jorrar
Esta linda natureza
E quis Deus pintar
Toda esta beleza
Sou cascata a correr
Num murmúrio singular
Quis Deus ilha prover
Desta Beleza sem par!
Este post é dedicado a todos os meus fantásticos visitantes!
Desafio-vos pois a seleccionarem e a comentarem uma destas maravilhosas imagens, sob a forma de poesia, prosa poética... dêem asas à vossa imaginação!
Façam deste o vosso espaço!
Imagens de:
Portal Açores

23 março, 2006

A Oriente... A Ilha de São Miguel


O Paraíso das Áreas Protegidas...

Da Ponta da Ferraria destaca-se o Pico das Camarinhas, um Monumento Natural Regional que concentra interessantes estruturas geológicas. A escoada lávica expelida pelo vulcão deslizou pelos declives e lançou-se sobre o Oceano atlântico, formando uma espécie de fajã lávica. Nesta zona existem ainda nascentes termais que podem atingir os 62º.

E já que se fala de água quente, a Caldeira Velha, localizada na Serra de Água de Pau, Ribeira Grande possui soberbas nascentes de água quente que caem em cascatas, proporcionando o aparecimento de vegetação natural e exótica.

A Ponta da Galera na Caloura situa-se mais a Sul de São Miguel. Zona de elevada diversidade geomorfológica, com falésias baixas, ilhotas e rochedos isolados, enseadas, baías, e grutas submersas e semi-submersas. Pelas suas características é um privilegiado local de nidificação de aves, tais como: garajau-comum, cagarro, gaivota, milhafre, melro-preto, alvéola-cinzenta, tentilhão, toutinegra, pisco-de-peito-ruivo, canário-da-terra...

O Ilhéu de Vila Franca do Campo foi resultado de uma erupção submarina que deu origem a uma cratera circular aberta ao mar. É também uma importante zona de nidificação e passagem de aves marinhas, tendo sido classificado como uma Reserva Natural Regional.

A Lagoa do Fogo ocupa uma enorme caldeira de um vulcão, atingindo uma profundidade máxima de 30m, sendo a mais jovem de São Miguel. Ao seu redor desenvolve-se uma densa vegetação endémica, entre as quais o cedro-do-mato, o louro, o trovisco-macho, a malfurada e a urze.

As Sete Cidades é uma zona montanhosa, tendo a caldeira sido formada pelos colapsos sucessivos dos relevos que a rodeiam, com diâmetro de 5Km e profundidade máxima de 400m. Constitui uma importante área de endemismos e passagem de aves migratórias.

O Pico da Vara possui 1.103m e é o mais alto de São Miguel. Apresenta um relevo montanhoso com profundas ravinas, onde correm ribeiras quase permanentemente. A vegetação deste sítio é a densa floresta de Laurissilva, que aqui se conserva desde tempos imemoriais. Quanto às espécies de avifauna destaca-se uma ave terrestre rara, endémica dos Açores - o Priôlo, que se encontra em vias de extinção e encontrou neste Pico o seu refúgio.
Fotografias extraídas:
http://acores.sapo.pt/fotoacores/showgallery
www.usconsulateazores.pt
www.horta.uac.pt

21 março, 2006

A Primavera Chegou!

A Primavera chegou... uma vida nova começou.
Quem foi que te contou... quem foi que te contou?

O sol,

os pássaros,
as árvores,

os campos,

as flores...
foram eles que me contaram.
Teremos porventura a sorte de ter, em outras primaveras, tal abundância de anúncios?
(ideia inspirada no Desambientado)

19 março, 2006

OLHA...

...a Ponta do Varadouro...



...ao longe o Morro do Castelo Branco



Faial... uma ilha de sonho com relíquias naturais para descobrir. A Ponta do Varadouro forma uma bela e ampla enseada de onde se pode apreciar a belíssima encosta até ao magnífico Morro do Castelo Branco.
Uma e outra são Áreas Protegidas, no âmbito da Rede Natura 2000, sendo designadas por zonas SIC, ao abrigo da Directiva Habitats.

Mais do Faial


Perspectiva sobre a cidade da Horta

O Monte da Guia é dominado por um cone vulcânico unido à ilha, cuja cratera abriu-se ao mar. Oferece-nos uma paisagem de abundante beleza, espécies de flora endémicas e variadíssimas espécies da fauna e flora marinhas.
Esta área protegida está repleta de extraordinárias riquezas. Passo a apresentar as espécies da flora endémicas que podemos encontrar neste lugar:
A Erva-leiteira (euphorbia azorica)

A Urze (Erica azorica)

Cá vêm as autóctones:
A Faia (Myrica faya)

O Junco (Juncus acutus)
O abrigo desta "mini-baía" é utilizada por algumas espécies piscícolas como zona de maternidade. Que sorte têm esses juvenis!
As condições oceanográficas são favoráveis à coexistência de diversas espécies marinhas, entre elas:
Os Cabozes(Blennidae sp.)
Os magníficos meros(Epinephelus marginatus)
E se a sorte estiver do nosso lado ainda avistamos um belíssimo exemplar marinho como este...
A Baleia azul

17 março, 2006

Depois da Caldeira... os Capelinhos

Capelinhos uma relíquia vulcânica da Ilha e do arquipélago. Acolhimento para nidificação de algumas espécies de aves marinhas ameaçadas, tais como o Garajau-comum e Garajau-rosado.


O vulcão dos Capelinhos esteve em erupção entre 1957-58, tendo soterrado algumas habitações e parte do farol, agora marco emblemático do local.

Os habitats naturais do espaço que envolve o vulcão caracterizam-se, essencialmente, por vegetação resistente das costas de calhaus rolados, falésias com vegetação das costas macaronésicas, campos de lavas e escavações naturais. Pela sua diversidade geomorfológica esta zona foi designada como Área Protegida (SIC E ZPE).

http://fotos.sapo.pt/hibero/tag/faial

16 março, 2006

Faial a Ilha Azul


Um Ligeiro Vôo...

Faial, a ilha azul, dominada pelo cone vulcânico da Caldeira, implanta-se no oceano Atlântico a 6 km Oeste da ilha montanha, o Pico, da qual se encontra separada pelo Canal do Faial. O seu ponto mais alto atinge a altitude máxima de 1.043m e denomina-se Pico Gordo.

A zona da Caldeira está classificada como Área Protegida, Sítio de Interesse Comunitário (SIC), a fim de proteger habitats naturais e as espécies da fauna e flora associadas, sendo muitas delas endémicas.

Das espécies de vegetação endémicas destaca-se:


O Cedro-do-mato (Juniperus brevifolia)

A Margarida (Bellis azorica)

O Trovisco-macho (Euphorbia stygiana)

A Erva-do-capitão (Sanicula azorica)

A Alfacinha (Lactuca watsoniana)

A Labaça (Rumex azorica)

A sobrevoar esta área pode-se observar...

O Milhafre (Buteo buteo rothschildi)
Ainda pode-se encontrar...
O Tentilhão (Fringilla coelebs moreletti)
Toutinegra (Sylvia atricapilla atlantis)
Pela riqueza apresentada a área da Caldeira está protegida contra a colheita de espécimes e actividades de caça.
www.spea.pt/images/ prlo_regulus.jpg